A nova lei dinamarquesa que permite o confisco de bens aos refugiados que estão no país tem originado uma onda de indignação em vários países, mas também nas instituições europeias. A Assembleia da República aprovou por unanimidade o repúdio à forma como Copenhaga tenta controlar a entrada de imigrantes.

No Parlamento Europeu a questão também motivou discussão por parte dos eurodeputados. O socialista Francisco Assis entende que as medidas são um atentado contra a dignidade dos direitos humanos porque são contrárias aos princípios europeus e internacionais da protecção de direitos. Francisco Assis relembrou que a Alemanha também está a proceder da mesma forma dos dinamarqueses.

As autoridades locais responderam que a medida tem como objectivo co-financiar a estadia.

Advertisements