Tags

As últimas eleições legislativas em Espanha provocaram uma crise política porque o partido vencedor não conseguiu passar o programa do governo no parlamento, já que, o PSOE, Podemos e o Ciudadanos tinham maioria suficiente para impedir o PP de governar. Os dois primeiros através dos líderes afirmaram antes do acto eleitoral que poderiam formar uma coligação. No entanto, as negociações prolongaram-se durante vários meses, mas não houve consenso entre socialistas e o partido liderado por Pablo Iglesias. Ao contrário do que sucedeu em Portugal, os dois partidos da esquerda não chegaram a acordo. O especialista Arturo Merayo disse ao “The Democrat” que “o único desejo da esquerda é não deixar a direita governar“.

O analista critica o tempo perdido pelos partidos nos últimos seis meses. Arturo Merayo considera que “o país perdeu num momento de recuperação económica porque os partidos não souberam interpretar os resultados das eleições“.

Nas próximas eleições as forças partidárias irão ser novamente julgadas, sendo que, também está em jogo o que se passou nos últimos meses de negociações. O analista não tem dúvidas que “ninguém ganhou com esta situação“. No entanto, o actual cenário de crise pode continuar a ser uma realidade após o dia 26 de Junho.

Advertisements