Uma delegação da Comissão das Liberdades Cívicas, Justiça e Assuntos Internos do Parlamento Europeu visitou os campos de refugiados gregos em Idomeni e Karatepe. O primeiro situa-se no norte da Grécia e o segundo na ilha de Lesbos. Neste momento, existem 54 mil refugiados na Grécia, sendo que, a maior parte são sírios. Na Turquia o número chega aos dois milhões e setecentos mil sírios e 300 mil de outras nacionalidades.

A eurodeputada do Grupo Europa da Liberdade e Democracia Direta, Laura Ferrara, disse ao “The Democrat”, que “a situação é crítica porque não existem campos de refugiados suficientes“. No entanto, existem mais problemas revelados pela parlamentar que não agradam aos responsáveis europeus, em particular as condições das crianças que são “sujeitas a abusos e exploração porque vivem em campos destinados a adultos“. Laura Ferrara acrescenta que também há falta de “informação e protecção legal“.

O recente acordo entre a Grécia e a Turquia criou maior incerteza e expectativa junto dos refugiados porque “não sabem quando serão enviados para a Turquia”. A eurodeputada entende que “estamos perante uma violação das obrigações internacionais devido aos constantes abusos dos direitos fundamentais“.

Advertisements