Os líderes dos maiores sindicatos britânicos apelaram aos 6 milhões de membros para votarem na continuidade do Reino Unido na União Europeia. Os responsáveis do Unite, Unison, GMB e o Usdaw argumentam que um governo liderado pelo Partido Conservador tem mais hipóteses de desrespeitar os direitos dos trabalhadores se o país sair do clube europeu.

Os direitos que podem deixar de existir são a licença de maternidade, as férias e a igualdade salarial nos trabalhos a tempo inteiro e a part-time.

Uma nova sondagem do Yougov coloca o Brexit com 45% contra 41% do Remain, enquanto 11% permanecem indecisos.

Advertisements