O funcionamento do mercado único europeu tem sido um dos argumentos dos defensores da saída do Reino Unido da União Europeia. As principais dúvidas levantadas tem a ver com o papel do país nas trocas comerciais com os outros países europeus e no resto do mundo. Neste momento, metade das transacções para fora do Reino Unido tem de ser concertado com a União Europeia, sendo que, as negociações também têm de ser realizadas de acordo com as normas europeias. Apesar das restrições, o mercado único permite a livre circulação de serviços, bens, capital e trabalhadores.

Os apoiantes do Brexit pretendem que a regulação europeia não seja aplicada e as negociações comerciais sejam feitas individualmente entre o Reino Unido e cada país. No entanto, a dependência das exportações britânicas relativamente aos restantes países europeus não vai permitir ao Reino Unido continuar a ter acesso ao mercado único. A campanha a favor da saída contraria a tese do Remain porque consideram que o Reino Unido importa mais produtos dos países europeus do que exporta para o resto da Europa. Ou seja, a economia britânica continua a ser forte dentro do espaço europeu.

Advertisements