O senador do Vermont declarou que iria trabalhar com Hillary Clinton para derrotar Donald Trump nas eleições gerais. No entanto, não se trata de um apoio oficial à antiga primeira-dama, mas uma forma de manter o partido Democrata unido durante a campanha eleitoral. Na declaração emitida, Sanders garantiu que vai à Convenção Democrata em Filadélfia no próximo dia 25 de Julho. Alexandre Burmester considera que “tudo o que possa contribuir para a unidade de um partido numa campanha só beneficia o candidato“.

Durante as primárias o senador conseguiu “capacidade de mobilização e financiamento popular“, que lhe permitiram vencer em 22 Estados e obter 12 milhões de votos, embora a campanha “mono-temárica” não lhe tenha dado possibilidade de colocar em causa a vitória de Clinton.

A prestação nas eleições primárias não será suficiente para vir a ser um membro importante do partido. Alexandre Burmester entende que “não terá um grande papel“.

Advertisements