A demissão de David Cameron como primeiro-ministro e líder dos conservadores abriu a porta da sucessão antes das eleições gerais em 2020. Na campanha eleitoral, Cameron garantiu que não saía se o Brexit vencesse, mas mudou de opinião após a divulgação dos resultados oficiais. No início da contagem de votos, o grupo dos conservadores eurocépticos enviou uma carta ao primeiro-ministro em que garantia lealdade, independentemente do resultado.

De acordo com informações dos órgãos de comunicação social britânicos, as especulações em torno dos sucessores de Cameron já começaram. Os principais candidatos ocuparam posições distintas no referendo. O primeiro nome a surgir é o de Boris Johnson. O antigo presidente da Câmara de Londres tem sido apontado ao cargo após o primeiro-ministro ter dito que não concorria a um terceiro mandato. O segundo candidato é o de Theresa May. A ministra esteve ao lado do primeiro-ministro durante a campanha do Remain.

Advertisements