A decisão do FBI de não processar Hillary Clinton por causa da utilização do e-mail pessoal num assunto relacionado com o Departamento de Estado norte-americano será discutido na campanha eleitoral devido a questões de segurança nacional. Alexandre Burmester entende que está em causa “a capacidade de um candidato velar por assuntos confidenciais”.

Apesar da reacção de alguns republicanos e de Donald Trump, os temas principais da campanha “não são os problemas dos emails“, embora a estratégia republicana também passa por “desacreditar o adversário“.

As palavras do Director do FBI e a investigação anunciada pelo Departamento de Estado não favorecem a defesa da ex-primeira-dama. No entanto, Alexandre Burmester considera que “o principal argumento de Clinton é o facto de não ter sido processada“.

Advertisements