O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, entende que os Estados Unidos devem extraditar rapidamente Fethullah Gulen para ser julgado no país por crimes de traição. Numa entrevista à CNN, o chefe do Estado culpou o clérigo por ser o mentor da tentativa de golpe de Estado no dia 15 de Julho, apelidando-o de terrorista por diversas vezes. Erdogan recorda que a Turquia e os Estados Unidos assinaram vários acordos bilaterais que incluem a extradição.

A possibilidade de voltar a haver pena de morte na Turquia não foi descartada por Erdogan. O presidente revelou que se trata de um desejo da população, mas o processo terá de ser votado no parlamento porque também provoca alterações na constituição.

A noite da tentativa de golpe de Estado mereceu os primeiros minutos da entrevista. O líder turco garantiu que esteve sempre informado do que estava a acontecer enquanto se encontrava no ar antes de aterrar em Istanbul. Os membros da polícia conseguiram eliminar os soldados que controlavam a torre de controlo.

Advertisements