No início do mês de Novembro, os norte-americanos não vão ter que optar apenas por Hillary Clinton ou Donald Trump para a liderança política dos Estados Unidos. No boletim de voto de cada cidadão irá estar o nome de Gary Johnson e Jill Stein. O primeiro faz parte do Libertarian Party enquanto Stein concorre pelos Verdes.

A candidatura de Johnson é um novo passo para os libertários conquistarem espaço político num sistema dominado pelo Partido Republicano e o Democrata. O vice-presidente do partido, Arvin Vohra, disse ao “The Democrat” que “temos vindo a ganhar algumas batalhas políticas, como a possibilidade de registar eleitores do partido no Oklahoma que podem votar nos nossos candidatos“.

Nas últimas semanas, o partido conquistou a simpatia de vários militantes democratas, bem como de apoiantes do senador do Vermont, Bernie Sanders devido às políticas dos libertários na luta contra as drogas, no encerramento de bases militares norte-americanas no estrangeiro e na revogação do Patriot Act, embora a prioridade de Gary Johnson seja reduzir a administração pública federal em 20%. Arvin Vohra considera que as medidas trazem mais “dinheiro para o bolso das pessoas, mais emprego, menos violência , além de respeito pela privacidade e dignidade de cada um“.

Os responsáveis acreditam que a redução do Estado garante mais liberdade individual, ao contrário dos partidos tradicionais que continuam a “interferir na vida privada das pessoas“.

Advertisements