O candidato à liderança do Partido Trabalhista colocou algumas condições para aceitar a saída do Reino Unido da União Europeia. Owen Smith garante que a primeira-ministra só conta com o apoio do Partido Trabalhista se houver um novo referendo ou eleições gerais antecipadas. Caso Theresa May não aceite as propostas, os trabalhistas vão tentar bloquear a pretensão dos conservadores em invocar o Artigo 50 para iniciar o processo de saída do clube europeu.

Neste momento, existem dois impedimentos para a vontade de Owen Smith se concretizar. Em primeiro lugar, o Partido Trabalhista ainda não escolheu o novo líder. Em segundo, não é certo que o parlamento britânico tenha de votar o levantamento do Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que prevê as condições de saída de um Estado-Membro da União Europeia.

O deputado acredita que a maioria dos britânicos pretende continuar na UE, tendo chamado mentiroso aos defensores do Brexit.

O actual líder não concorda com a posição de Owen Smith. Um porta-voz de Jeremy Corbyn relembra que bloquear a decisão dos britânicos irá custar votos ao Partido Trabalhista, porque as classes trabalhadoras votaram a favor do Brexit.

Advertisements