As eleições para o Conselho legislativo de Hong-Kong voltaram a dar maioria aos partidos ligados a Pequim, mas várias forças contra a presença chinesa no território também asseguraram representação.

Os responsáveis pelas manifestações que paralisaram o país em 2014, vão ser chamados a tomar decisões importantes para o futuro do país. Os jovens deputados ficaram contentes com os resultados porque prova a necessidade de mudança no país, tendo prometido que continua a luta contra o Partido Comunista Chinês.

A eleição de um terço de representantes que são contra o regime chinês significa a possibilidade de alterar vários preceitos constitucionais fundamentais para as mudanças no sistema político.

As autoridades chinesas não comentaram o resultado das eleições, mas o governo em Hong Kong acredita que os jovens eleitos se vão tornar moderados.

Advertisements