O discurso de Jean-Claude Juncker sobre o estado da União Europeia não galvanizou a maioria dos eurodeputados. O presidente da Comissão Europeia continua a pedir mais Europa, mas sem resolver os problemas dos cidadãos como o desemprego, as desigualdades e a coesão. Os líderes europeus continuam a bater na mesma tecla.

A reunião informal dos chefes de governo e de Estado dos 27 Estados-Membros decorreu em Bratislava para discutir os problemas da união. O evento não contou com a presença do Reino Unido porque um dos assuntos em cima da mesa eram as consequências e causas do Brexit. No entanto, nada foi concluído, tendo sido marcadas mais reuniões que culminarão com uma cimeira em Roma no próximo ano, na altura em que se festejam 60 anos do Tratado assinado na capital italiana. As expectativas acabam sempre sair frustradas após cada encontro..

O Brexit também tem sido o tema principal nas campanhas eleitorais em alguns partidos britânicos. O UKIP escolheu Diane James para substituir Nigel Farage. A nova liderança já prometeu que só aceita a total independência do país face à União Europeia. O Partido Trabalhista também vai a votos no próximo dia 24. Se Owen Smith vencer, a realização de um segundo referendo vai voltar à agenda.

Nos Estados Unidos a aproximação de Donald Trump a Hillary Clinton motiva notícias em todos os órgãos de comunicação social.

Advertisements