O acordo final estabelecido entre o Reino Unido e a União Europeia não tem que ser votado no parlamento, embora o governo pretenda ouvir a opinião dos deputados. A hipótese de uma consulta à população britânica sobre o teor das negociações foi colocada de parte pelos responsáveis do governo.

O executivo liderado por Theresa May entende que não é aceitável que haja um segundo voto sobre o referendo. Numa visita à Dinamarca, a chefe do governo garantiu que o Reino Unido não está de costas voltadas para os amigos da Europa.

A decisão do governo não está a ser bem aceite pelos trabalhistas. O antigo líder do partido, Ed Miliband, gostava que houvesse uma votação na Câmara dos Comuns sobre os termos do acordo.

Advertisements