O “The Democrat” acompanhou as eleições norte-americanas desde o início, contando com  as opiniões de dois dos três autores do blogue “Era uma vez na América”. Ao longo de nove meses, Nuno Gouveia e Alexandre Burmester explicaram as incidências da campanha eleitoral, que começou com as primárias e terminou na campanha eleitoral para a eleição geral que se realiza nesta noite.

No último artigo sobre a campanha eleitoral porque amanhã já temos o 45º presidente dos Estados Unidos eleito, fizemos algumas perguntas aos dois especialistas sobre os últimos meses, mas também perspectivámos o futuro dos Estados Unidos com Hillary Clinton ou Donald Trump. Quisemos fazer um artigo diferente para comemorar o dia que todos esperam há bastante tempo.

1- Quem gostaria que vencesse as eleições norte-americanas?

Nuno Gouveia: Nenhum dos dois, mas quero que Donald Trump perca.
Alexandre Burmester: Gostaria que Hillary Clinton não vencesse as eleições.

2- Qual o candidato que esteve melhor durante a campanha?

Alexandre Burmester: Trump acabou melhor porque falou do Obamacare, impostos e imigração, enquanto Clinton esteve bem até às duas últimas semanas, mas na parte final não falou das propostas para o país.
Nuno Gouveia: Hillary Clinton fez uma campanha melhor e mais profissional, seguindo os ditames tradicionais da comunicação política.

3- O próximo presidente tem capacidade para exercer o segundo mandato?

Nuno Gouveia: Quem vença terá enormes dificuldades porque não vai ter estado de graça, necessitando de um grande mandato para vencer as eleições de 2020.
Alexandre Burmester: Questão muito prematura.

4- Quais foram as características da campanha eleitoral?

Alexandre Burmester: Populismo e ataques pessoais dos dois lados
Nuno Gouveia: Uma campanha anti-establishment, em particular por parte de Donald Trump.

5- Quais serão os principais aspectos de Clinton na Casa Branca?

Nuno Gouveia: Vai manter as políticas internas de Obama, embora sendo mais interventiva na política externa e pode ter problemas se os republicanos segurarem a maioria no Congresso.
Alexandre Burmester: Diálogo e atenção ao detalhe, mas com tendência para o secretismo.

6- E as características da presidência de Donald Trump?

Alexandre Burmester: Iremos ter uma presidência-espectáculo, confrontação com o Congresso (mesmo com a maioria republicana) e fricções com países estrangeiros que são aliados.
Nuno Gouveia: Errático, confrontos com os dois partidos e isolacionista na frente externa.

7- A campanha eleitoral mostra que a política norte-americana está em crise?

Nuno Gouveia: Os candidatos tradicionais tiveram muitas dificuldades, em resultado da grande revolta contra os aparelhos partidários, que não vai acabar com a vitória de Hillary Clinton. O Partido Republicano continuará numa guerra civil entre conservadores tradicionais e populistas nacionalistas.
Alexandre Burmester: Temos vindo a assistir a uma radicalização dos dois lados que deixará marcas e influências em ambos os partidos.

8- Quais vão ser os principais desafios do próximo presidente?

Alexandre Burmester: A imigração clandestina, o terrorismo islâmico, os equilíbrios internacionais e a economia.
Nuno Gouveia: Não vai ser fácil pacificar a nação.

9- O próximo Chefe do Estado vai controlar o Congresso?

Nuno Gouveia: Acho que não, sobretudo se Clinton vencer
Alexandre Burmester: Só será possível com Donald Trump porque a maioria republicano no Congresso está segura.

10 – Quais vão ser as principais dificuldades que o Congresso vai colocar ao próximo presidente?

Alexandre Burmester: Nomeações para o Supremo e o orçamento.
Nuno Gouveia: A oposição interna

11- Hillary Clinton estarão desprotegidos face à opinião pública e aos escândalos que surgirem durante o mandato?

Nuno Gouveia: Qualquer aspecto menos positivo que suceda vai surgir nos meios de comunicação social.
Alexandre Burmester: Tendo em conta o perfil dos candidatos, é uma situação inevitável.

Advertisements