A vitória do VVD de Mark Rutte não chegou para conquistar a maioria absoluta, pelo que, nos próximos meses os partidos políticos irão discutir alianças no governo e também na oposição, sendo que, nenhuma força pretende estar ao lado de Geert Wilders nas fotografias.

O partido vencedor tem duas hipóteses em cima da mesa. A primeira passa por se coligar com o D66 e uma união de três partidos cristãos compostas pelo CDA, Christen Unie e o SGP. Na segunda opção, Mark Rutte mantém uma aliança com o D66, embora tente chamar o Groen Links para a governação. Os Verdes foram os principais vencedores entre todos os partidos da esquerda. A professora da Universidade de Radboud, Angela Wigger, considera que as duas possibilidades acarretam problemas. Na primeira situação, “os partidos cristãos deverão bloquear as iniciativas do D66 a favor da eutanásia”. Por seu lado, na segunda hipótese “o VVD poderá puxar os Verdes para a direita, à semelhança do que fez com o PdvA nos últimos anos”.

O grande derrotado da noite eleitoral acabou por ser o PvdA. O partido que defende os interesses dos trabalhadores perdeu 29 dos 38 deputados, ficando apenas com 9. A docente entende que “os eleitores castigaram o PvdA por causa das medidas de austeridade do anterior governo”. A maioria dos votantes tradicionais escolheram o PVV de Geert Wilders, mas também os Verdes. Angela Wigger explica que o Groen Links “efectuou propostas para reduzir as desigualdades económicas e políticas favoráveis à imigração, além de ser a favor da União Europeia”. O partido socialista na Holanda necessita de voltar à matriz social-democrata nos próximos quatro anos.

A subida do PVV provocou um maior fosso entre os partidos de direita e de esquerda. A professora universitária revela que “os partidos de esquerda perderam comparativamente com eleições anteriores”.

Advertisements