O líder dos trabalhistas rejeitou realizar um acordo pós-eleitoral com o Partido Nacional Escocês. Jeremy Corbyn entende que os nacionalistas não são progressistas, criticando a as posturas distintas em Westminster e na governação da Escócia.

As recentes tentativas do Partido Nacional Escocês de efectuar o segundo referendo à independência na região também estão na base das recusas por parte do líder trabalhista em Inglaterra e da responsável na Escócia. Os dois dirigentes consideram que  a força liderada por Nicola Sturgeon pretende dividir o Reino Unido em duas partes.

A primeira-ministra garante que, na próxima eleição, a disputa vai ser entre a forte liderança dos conservadores ou um governo trabalhista suportado pelos pequenos partidos.

Advertisements