O presidente Donald Trump completa 100 dias na Casa Branca. Os primeiros meses do mandato ficam marcados pela tentativa de cumprir algumas promessas através de ordens executivas por causa da oposição de alguns membros do Partido Republicano no Congresso.

A política externa também mereceu atenção por parte do novo Chefe do Estado com acções militares na Síria e o envio de porta-aviões para a península da Coreia com o intuito de persuadir Pyongyang de continuar a testar misseis nucleares. Os Estados Unidos também iniciaram uma pequena polémica com o Irão.

Os autores do blogue “Era uma vez América” assinalaram os momentos negativos e positivos nestes 100 dias. Nuno Gouveia e Alexandre Burmester consideram que “a nomeação de Neil Gorsuch para o Supremo Tribunal foi a maior vitória política”, embora Nuno Gouveia tenha acrescentado “o primeiro discurso no Congresso e a resposta ao ataque com armas químicas de Assad na Síria”, como dois momentos aplaudidos pela crítica. No plano negativo, os dois especialistas também apontam “a derrota em tentar derrubar o Obamacare na Câmara dos Representantes”. No entanto, existiram mais polémicas que fragilizam o mandato de Trump, como as ligações da actual administração à Rússia que resultaram na demissão de Michael Flynn e os constantes comentários do presidente nas redes sociais.

As medidas de Donald Trump têm sido rigorosamente escrutinadas, sobretudo pela comunicação social norte-americana. O ambiente em torno da presidência continua a ser de alguma desconfiança, embora Nuno Gouveia considere que “as posições mais centristas melhoraram ligeiramente o clima”. Por outro lado, Alexandre Burmester entende que “ainda se sente alguma crispação”. 

Advertisements