Na cerimónia de abertura da campanha trabalhista para as eleições legislativas no dia 8 de Junho, Jeremy Corbyn assegurou que não se demite mesmo em caso de derrota. A decisão anunciada publicamente pode unir ou dividir o partido durante o próximo mês, mas o professor da Universidade do Exeter, Richard Toye, considera que “não está em causa o sucesso eleitoral porque o principal objectivo de Corbyn passa por construir um movimento”. O docente também acredita que uma vitória robusta dos conservadores torna a oposição do líder trabalhista “insignificante”.

O resultado de um eventual triunfo dos conservadores também serve de teste à manutenção de Jeremy Corbyn, porque existem sempre críticas e movimentos internos após as derrotas eleitorais. Richard Toye assegura que “não existem condições para a manutenção da actual liderança, independentemente dos números da vitória dos conservadores”. 

Advertisements