A vitória de Theresa May sem maioria absoluta nas últimas eleições torna o caminho dos conservadores mais complicado sobretudo no desejo de implementar o Hard-Brexit. A primeira-ministra tem de enfrentar vários desafios no partido, no parlamento e nas relações com a União Europeia durante o mandado. A professora da Universidade de Bristol, Sarah Childs, entende que “a maior dificuldade será segurar uma maioria parlamentar para concluir as negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia”. A docente também acredita que o futuro de Theresa May na liderança do governo “depende do êxito das conversações”. 

O apoio do Partido Conservador será importante para Theresa May ter estabilidade na liderança. Durante a semana, a chefe do governo garantiu que tem capacidade para sair da actual situação política e acalmar a nova bancada parlamentar, bem como as figuras mais importantes. Sarah Childs considera que “neste momento, o partido parece apoiá-la, mas o discurso da Rainha será um momento decisivo”. 

A manutenção do actual figurino parlamentar depende do apoio dos Democratas Unionistas da Irlanda da Norte ao executivo, mas igualmente da estabilidade dos conservadores. A maioria dos analistas britânicos previu que haverá novas eleições dentro de um ano, mas a docente exclui novo acto eleitoral.

Advertisements