O primeiro-ministro da Roménia, Sorin Grindeanu, perdeu o apoio do partido depois de ter sido aprovada uma moção de censura no parlamento, com 241 votos a favor e apenas dez contra.

Os sociais-democratas acusam Sorin Grindeanu de falhar a introdução de reformas prometidas no início do mandato.

Apesar do partido ter reconquistado o poder nas eleições legislativas em Dezembro, o número de críticas internas ao trabalho do chefe do governo subiram de tom no início do ano devido ao alerta dado pela União Europeia relativamente ao trabalho que seria necessário realizar na luta contra a corrupção.

Advertisements