A ameaça russa continua a ser a principal preocupação dos responsáveis europeus e norte-americanos. A chegada de Vladimir Putin ao poder não descansa as principais potências do Ocidente, apesar do aumento de forças militares da NATO nos países bálticos.

Os oradores que falaram no primeiro dia do Estoril Political Forum transmitiram uma mensagem de apreensão face à expansão do poder de Putin no continente europeu, sobretudo após a crise na Ucrânia, que originou a Anexação da Crimeia. O professor da Universidade do Alaska, James W.Muller assegura que “a Rússia tomou um caminho imperial e agressivo sobre vários países europeus”, tendo referido que Moscovo também reforçou a presença militar no leste do continente. O fundador da Fundação Telders, Patrick Van Schie também considera que “os países bálticos são os que mais temem a ameaça russa”. 

Nos últimos anos a União Europeia tem enfrentado vários desafios que podem impedir a concentração total na possibilidade de Putin iniciar um processo bélico. O norte-americano James W.Muller identificou “o Brexit, a crise do euro e a imigração” como os principais assuntos que dominaram a agenda dos governos europeus.

 

Advertisements